De 13 a 16 de abril acontece em Florianópolis a oficina Madalena na Luta, uma iniciativa de Ízide Fregnani, multiplicadora do Teatro do Oprimido, com apoio do Sintrafesc e da CUT SC. O evento está alinhado ao Laboratório Madalena, uma experiência cênica voltada para mulheres empenhadas em investigar as especificidades das opressões enfrentadas pelas mulheres e em atuar para a criação de medidas efetivas que contribuam para a superação dessas opressões e para a igualdade dos gêneros, que está em andamento em cidades brasileiras mais três países da África lusófona. A ideia da oficina surgiu após a participação da multiplicadora no Laboratório Madalena, ocorrido em fevereiro na Caixa Cultural RJ. Por e-mail, Ízide Fregnani conversou com o editor do Portal CTO a respeito do que a impulsionou para a realização deste evento. A seguir, trechos da entrevista.

Portal CTO – O significou para a senhora participar do Laboratório Madalena, no Rio de Janeiro?

Ízide Fregnani – Foi um evento muito importante e que veio ao encontro das minhas atividades profissionais, principalmente para fortalecer a opção em desenvolver atividades com a estética do oprimido. Acredito cada vez mais que, para efetivar projetos de educação popular, o instrumental proporcionado pelo Teatro do Oprimido, é de um potencial imenso. Pois a ação passa pela apropriação dos sujeitos de sua condição de produtores de cultura, ou seja, passa por dentro de suas histórias e a partir daí, encontramos a história da sociedade, a coletividade… e aí, há a esperança da transformação social! Por isso quero me aprofundar cada vez mais no Teatro do Oprimido! E com o Laboratório Madalena uniu a metodologia com a temática da mulher/gênero de uma forma brilhante. Como desenvolvo atividades de educação popular no meio sindical (Ízide é formadora sindical), eu lido com a temática das relações de gênero/mulher, e precisava de um instrumental que possibilitasse o trabalho com as mulheres.

Portal CTO – O que impulsionou a senhora a promover a oficina Madalena na Luta em Santa Catarina?

Ízide Fregnani – Havia uma lacuna num trabalho já existente: o coletivo de cultura, gênero, raça/etnias do sindicato onde trabalho (Sintrafesc), porém é ainda, um grupo desarticulado, e também há o coletivo de gênero da CUT estadual. Ou seja, já existe um grupo de mulheres “metidas” com a política, e que são dirigentes sindicais ou de movimentos populares de Santa Catarina, isso me “impulsionou” a apresentar essa proposta do Laboratório Madalena, do CTO (Centro de Teatro do Oprimido). Elas adoraram a idéia e embarcaram na proposta. O que me motiva, também, é a possibilidade da continuidade, daí já é mais um “ponto” nesse “conto”…

Portal CTO – Quem participa da oficina?

Ízide Fregnani – Mulheres oriundas dos movimentos sociais de Santa Catarina.

Portal CTO – Quais as expectativas para este evento?

Ízide Fregnani – IMENSAS!! Trabalhar com a educação, com o tema (relações de gênero/mulher) e principalmente com o instrumental metodológico do Teatro do Oprimido é muito gratificante. Eu vou provocar, no grupo aqui, o questionamento sobre a continuidade… como poderá ser? Que “invenções” de continuidades poderemos encaminhar para esse grupo de mulheres, que lida com a temática, que está na batalha? Assim posso me incluir nessas possibilidades de construções coletivas. E tudo isso proporcionado pelas “sementes” do Laboratório Madalena.

Contemplado com o Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura, com patrocínio do Ministério da Cultura por intermédio da Funarte, o Laboratório Madalena é uma iniciativa da diretora italiana Alessandra Vannucci e integra a residência artística da diretora no Centro de Teatro do Oprimido.

Já o evento Madalena na Luta integra o Projeto Teatro do Oprimido de Ponto a Ponto, com patrocínio do Ministério da Cultura por intermédio do Programa Cultura Viva, e  acontece na Escola Sul da CUT com a presença de Claudete Félix, curinga do Centro de Teatro do Oprimido. A Escola fica na Av. José Boiteux 4.810, Ponta das Canas, Florianópolis. Na noite do dia 16 de abril acontecerá um evento público a partir das 18h, no Centro de Aertes da UDESC, com apresentação de uma peça teatral com os resultados alcançados durante a oficina.

Para mais informações a respeito da oficina Madalena na Luta, os interessados devem ligar para (48) 3261-4000.

Leia também: