Projetos

Teatro do Oprimido na Saúde Mental (2010/04) – A parceria estabelecida há cinco anos entre o Centro de Teatro do Oprimido e o Ministério da Saúde, por intermédio do Fundo Nacional de Saúde, para capacitação e acompanhamento de profissionais da área de saúde mental do SUS nas técnicas do Teatro do Oprimido, tem levado a transformações políticas e a uma relação mais humana entre os pacientes, seus familiares, estes profissionais e a sociedade. Mais de 250 profissionais já foram capacitados e estão aplicando as técnicas do Teatro do Oprimido em hospitais psiquiátricos (inclusive em Manicômios Judiciários) e centros de atendimentos, os Caps. Desde que o teatro entrou na vida destas pessoas os períodos de depressão diminuíram, a adesão ao tratamento aumentou e a vontade de viver ressurgiu. Inicialmente realizado no Rio de Janeiro, hoje o projeto é estendido para o Estado de São Paulo e Estado de Sergipe.

Teatro do Oprimido de Ponto a Ponto (2009/06) – O Centro de Teatro do Oprimido e o Ministério da Cultura, através do Programa Cultura Viva, são parceiros no projeto que visa democratizar o acesso ao Método  Teatro do Oprimido para o fortalecimento, dinamização, diversificação e ampliação do raio de ação dos Pontos de Cultura de todo o Brasil. É desenvolvido em 18 estados brasileiros mais Moçambique, Guiné-Bissau, Angola e Senegal, países da África, onde visa estimular a criação de Pontos de Cultura Internacionais dedicados à difusão do Teatro do Oprimido e ao fortalecimento dos vínculos culturais e históricos com a África.

Fábrica de Teatro Popular Nordeste (2008/07) – O projeto aconteceu simultaneamente em Sergipe, Alagoas e Pernambuco, oferecendo um programa de formação de Multiplicadores de Teatro do Oprimido para Grupos Culturais, Pontos de Cultura e Movimentos Sociais interessados em utilizar este Método Teatral para estimular a reflexão sobre problemas reais e a busca de alternativas de solução, através do Diálogo Teatral com a sociedade.

Teatro do Oprimido no Espírito Santo (2008) – Programa de prevenção à violência e à criminalidade nos cinco municípios mais violentos da Grande Vitória (Vila Velha, Vitória, Viana, Cariacica e Serra), voltado para crianças e adolescentes em situação de risco social. Através do Teatro do Oprimido, estimula-se os participantes a identificarem como a violência influencia suas vidas e quais seriam as alternativas para minimizar e/ou desarticular essa influência.

Teatro do Oprimido nas Escolas (2007/06) – O projeto foi uma parceria com o Ministério da Educação, através da SECAD – Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, e com as Secretarias Municipais de Educação de Niterói, São Gonçalo, Nova Iguaçu, Mesquita, Duque de Caxias, Queimados e Belford Roxo – visando à capacitação de Multiplicadores da Estética do Oprimido, para a promoção de atividades artísticas dentro de escolas municipais durante os finais de semana, no programa Escola Aberta. O projeto foi desenvolvido em 33 escolas municipais, de onde se formaram 20 grupos de Teatro-Fórum que realizaram 42 apresentações públicas dentro e além dos muros escolares, sensibilizando mais de 6.000 pessoas entre corpo escolar e comunidades.

Teatro do Oprimido nas Prisões (2006/1998) – Projeto de capacitação de servidores do sistema prisional como Multiplicadores do Teatro do Oprimido, com a finalidade de utilizar o diálogo teatral para discussão dos problemas que vivenciam agentes e detentos. Implementado no: Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Piauí, São Paulo e Pernambuco. O CTO desenvolve atividades em sistemas prisionais desde 1998, no sistema penitenciário de São Paulo, tendo trabalhado também em: Rondônia, Distrito Federal e Minas Gerais.

Ponto de Cultura Casa do CTO (2009/05) – A partir de 2005, a Casa do Teatro do Oprimido passou a ser um Ponto de Cultura ligado ao programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura, ampliando assim a oferta de atividades gratuitas para a comunidade.

 
Teatro Legislativo (desde 1993) – Formação intensiva de grupos comunitários de Teatro do Oprimido, com o objetivo de criar leis que beneficiem a população. O projeto já teve apoio da Fundação Ford, do Ministério da Saúde, do Ministério da Justiça, da Fundação Heinrich Böll, do PROSARE e do BNDES. Através dessa iniciativa, até o momento, já foram produzidas doze leis municipais, um decreto legislativo, uma resolução plenária, duas leis estaduais e dois projetos de lei em tramitação, na cidade e no estado do Rio de Janeiro.

© Centro de Teatro do Oprimido (CTO) 1986 – 2019

Av Mem de Sá 31, Lapa – Rio de Janeiro | (21) 2215-0503 | contato@ctorio.org.br